"A humanidade tem sido o grande vírus", diz Rita Lee

"A humanidade tem sido o grande vírus", diz Rita Lee

"A humanidade tem sido o grande vírus", diz Rita Lee

Em texto para a revista Veja, cantora disse que sempre fez parte do grupo de risco

Foto: Divulgação

Rainha do rock nacional, Rita Lee escreveu um texto sobre a atual situação do planeta, que vive um caos devido à pandemia do coronavírus. Entre as declarações, a artista disse que, por vários motivos sempre esteve no grupo de risco: "É sequência natural que velhos morram antes de jovens e crianças, mas não precisava ser nesta situação apocalíptica de fim do mundo, apavorando vovôs e vovós", pontou. "Pensando bem, eu sempre fui considerada grupo de risco. Desde que entrei para o mundo da música, fui a artista mais censurada na época da ditadura no país, por ser tida como uma mulher perigosa para os bons costumes da família brasileira.

Fui grupo de risco no colégio, quando me arrisquei tascando fogo no cenário do teatro por ter sido rejeitada para fazer o papel de Julieta. Sou grupo de risco desde que luto contra os donos do poder, declarando meu repúdio aos maus-tratos de animais em rodeios, circos, aviários, matadouros, zoológicos, touradas, vaquejadas, ao contrabando de bichos silvestres, aos criadores gananciosos, às rinhas de galos e cachorros e a zilhões de outras barbaridades cometidas pela raça humana, que trata animais como objetos", completou. 

Rita ainda citou que a humanidade tem sido o grande vírus para o planeta, tendo em vista a tamanha destruição do meio ambiente.  "Sou parte de um grupo de risco saudável e esperançoso, por acreditar que esta pandemia faz parte de um propósito Divino para conscientizar a raça humana a respeitar nossa Nave Mãe Terra de toda a destruição que vem sofrendo, em todas as suas formas de vida. E revelando que a humanidade, sim, é que tem sido o grande vírus, fazendo o Jardim do Éden, nossa Mamãe Natureza, virar o maior grupo de risco". 

O texto foi publicado na íntegra no site da Veja - leia aqui.

Comentários