Os destaques na música brasileira em 2019

Foto: Júlia Rodrigues

Ano intenso, corrido, desesperador em partes, mas também belo em outras. Assim foi 2019. E a música brasileira, claro, permanece viva. Listamos aqui não os melhores álbuns do ano, mas, sim os destaques que tivemos durante estes 12 meses. Desde singles, clipes, faixas, etc e tal. Ficamos um pouco off neste ano, mas em 2020 estaremos com muito mais novidades e com força total! Confira o que separamos:

Álbum de 2019: Black Alien - Abaixo do Zero Hello Hell

Gustavo, o Black Alien, passou a limpo sua frequente convivência com seus demônios neste disco extremamente viciante. Com beats assinados por Papatinho, Alien fala, sim, sobre seu vício com a cocaína e com o álcool, mas também flerta com love songs em sonoridades positivamente tortas e rimas muito bem calculadas. É aquele disco que não dá para ouvir apenas uma música. Se deu o play, tem de ouvir tudo e com certeza você não vai querer escutar as nove faixas apenas uma vez.



Você também não pode deixar de ouvir: 

Vanessa da Mata - Quando Deixamos Nossos Beijos Na Esquina: Certamente o melhor disco de Vanessa até aqui, com críticas sociais, influências diversas da música brasileira e, claro, muito amor. Vale ressaltar que este é o primeiro registro produzido pela cantora.


Emicida: Amarelo: Leandro com certeza é quem mais sabe falar sobre a rua e a periferia no Brasil de hoje. Em "Amarelo" ele, mais uma vez, usa suas palavras como arma (sem agressividade, devagarinho). O rapper nos abriu os olhos para as coisas simples, para os amores e, como sempre, para as desigualdades que ainda reinam em nosso solo.



Música de 2019: Emicida (com Larissa Luz e Fernanda Montenegro) - Ismália: Não apenas a música de 2019, mas um registro para ficar na história. Emicida está junto de compositores tão importantes como Chico Buarque ou Milton Nascimento. "Ismália" traz a realidade nada boa em que o povo preto enfrenta e sempre enfrentou em uma letra riquíssima, baseada em um poema de Alphonsus Guimarães e com requintes de mitologia grega. A sonoridade é calcada no jazz, marca já registrada nas canções de Emicida. A declamação do poema por Fernanda Montenegro colabora ainda mais para a profundidade crítica e poética do tregistro.



Você também não pode deixar de ouvir: 

Fafá de Belém - Alinhamento Energético: Composição assinada por Letrux sintetiza, afinal, o que foi 2019. De certa forma, a faixa também é um mantra: "Respira, aprende a respirar. Se tu só pira, mas não respira, não vai dar".



BaianaSystem - Bola de Cristal: A mistura de axé com pagode baiano do BaianaSystem desta vez veio com influências latino-americanas, o que deu muito certo, claro. "Bola de Cristal", canção leve e dançante, é prova disso. "Você tem poder para mudar o mundo", canta Russo Passapusso.




Revelação de 2019 - Malía: Cantora carioca, proveniente da Cidade de Deus, Malía não quis saber de rodeios e veio logo de cara com um álbum cheio, "Escuta", lançado pela Universal Music. Calcado no R&B e em ritmos brasileiros como o samba, o registro é uma celebração ao amor e autoestima.



Você também não pode deixar de ouvir: 

Maria: Também carioca, Maria começou no projeto Poesia Acústica e, em carreira solo, eletrizou seu som com um pop muito bem feito, com refrões envolventes e românticos.



Hot e Oreia: O rap da dupla Hot & Oreia pode parecer estranho na primeira audição e, realmente, é diferente de tudo o que está sendo feito na música brasileira atualmente. O disco de estreia deles se chama "Rap de Massagem" e já tem pintado em diversas listas de melhores do ano.



Canção Crítica de 2019: BaianaSystem - Sulamericano: Somos todos latino-americanos e temos que bradar isso assim como Russo Passapusso canta na letra. Depois de tantos conflitos políticos na América do Sul precisamos estar preparados para contra-atacar. Forte e atual, este é o BaianaSystem de 2019.



Você também não pode deixar de ouvir: 

Arnaldo Antunes - O Real Resiste: Em época de Fake News, temos que valorizar o que realmente existe. Nesta faixa, Arnaldo Antunes disseca todas as pirações que vivemos em 2019 e, infelizmente, não foi só um pesadelo.



Vanessa da Mata - Nossa Geração: "Nossa Geração Não se Ama Mais", diz Vanessa da Mata nesta faixa. Será mesmo que o amor está se esgotando no planeta Terra? A falta de empatia é o mote principal desta letra.



O artista roqueiro de 2019: Pitty: Em "Matriz", disco lançado neste ano, a cantora baiana trouxe todas as suas raízes baianas para fazer música para mexer os esqueletos. Ainda tem MPB doce e calma, reggae e canção romântica. Só não podemos dizer que é mais do mesmo. 



The Monic: Revelação do rock underground paulistano, as meninas do The Monic nos entregou "Deus Picio", álbum com influências do garage e do punk, com guitarras pesadas e vocais afinados. Este é para quem curte o rock adentrando nas veias. 


Barão Vermelho: "Viva!", este e o título e recado do Barão (agora com Rodrigo Suricato nos vocais) para o público. Este é o primeiro disco de inéditas do grupo em 15 anos e marca uma reformulação no som da banda. Há também parcerias com artistas contemporâneos, como o rapper BK e a cantora Letrux.


Música Romântica de 2019 - Tiago Iorc: Tangerina: Faixa do excelente "Reconstrução", "Tangerina" é música de romantismo quente, que fala sobre a aproximação, também carnal, de duas pessoas. A canção ficou ainda melhor em dueto com Duda Beat, gravado no Acústico MTV.



Você também não pode deixar de ouvir

Rubel e AnaVitoria - Partilhar: Certo que esta canção, originalmente, é de 2018. Mas essa versão com o duo AnaVitoria ficou ainda melhor e mais apaixonada.



Vanessa da Mata - Só Você e Eu: O hit do ano de Vanessa da Mata é uma balada romântica clássica e super apaixonada, calcada em leves riffs de guitarra e hiper radiofônica.




Comentários