Baseado no romantismo, Bruno Del Rey lança EP com estética vintage

Foto: Melissa Warwick

O cantor e compositor Bruno Del Rey crava, definitivamente, sua carreira como artista solo. E para isto, o artista fez uma viagem. Ele não pegou ônibus, nem embarcou em um avião. Bruno entrou mesmo em uma máquina do tempo e voltou para os meados dos anos 50. Na volta para o presente, Bruno Del Rey trouxe em suas malas o blues e o soul e incorporou os ritmos em seu novo trabalho, "Começou Tem Que Ter Fim", EP composto por três canções, calcado em amores e estética vintage.

“Sempre fiz questão de inserir essa imagem retrô nos meus trabalhos musicais. Antes, com “Rockassetes” e “Bicicletas de Atalaia”. Agora, como artista solo, busquei isso de maneira ainda mais intensa, pensando nos arranjos e composições, no jeito de cantar e, até, no formato de gravação que chegasse o mais próximo possível desse som, que, de forma revisitada e elegante, olha para trás, mas propõe-se para frente”, ressalta Bruno.

A produção do mini álbum é de Augusto Passos, baixista da banda do Thiago Pethit e a mixagem e a masterização é de Dudinha Lima. O lançamento foi antecedido pelo single que dá nome ao EP. Uma faixa autobiográfica, segundo explica Bruno: “Essa foi a primeira canção que escrevi após o término de um longo relacionamento. Foi uma fase difícil, mas também de uma transformação importante. Quis deixá-la direta, sem rodeios e poucas metáforas. É bem visceral”.

O registro ainda conta com a música “Escape From Romance", em inglês, e "A Pia". Confira o lançamento: 

Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook