Mais de 10 anos após fundação, Bolerinho está firme, forte e com álbum autoral

Foto: Pétala Lopes

Há muito tempo ouve-se um borbulhar de comentários pelo trabalho do Bolerinho e uma expectativa crescente por um disco autoral. Enfim, a hora chegou. O trio formado por Luisa Toller (voz e teclado), Maria Beraldo (voz, clarinete, clarone, cavaquinho, guitarra, violão e bateria) e Marina Beraldo Bastos (voz, flauta, flauta em sol e baixo elétrico) lançou o primeiro disco de estúdio, homônimo e feito por meio de financiamento coletivo.

A produção do álbum é assinada por Mariá Portugal (Quartabê) e Ivan Gomes, enquanto as letras são de autoria das três musicistas, sendo algumas em parceria com colegas de banda, como Vitor Wutzki (“Necrópsia do Nosso Caso de Amor”, “Vivi”) e Rafael de Menezes Bastos (“Bichin”), além de Giovanni Iasi e Thiago Melo que colaboraram em “Alumiada” e “Bolerê”, respectivamente.

Instrumentistas e cantoras resistentes, as garotas do Bolerinho já estão imersas há algum tempo no cenário musical . O trio nasceu em 2007, mas as artistas transitam por diversos trabalhos e encontros. Maria Beraldo, por exemplo, em destaque por estar em processo de divulgação de seu primeiro álbum solo, compôs nos últimos anos as bandas de Elza Soares, Arrigo Barnabé e o Quartabê, grupo do qual faz parte. O trio também tem colaborado com artistas como Iara Rennó, Teto Preto, André Marques, Ná Ozzetti e Tião Carvalho.

Foto: Aline Belfort

Enquanto a hora de gravar o disco não chegava, o trio fazia versões de canções populares, desde Chico Buarque à Rita Lee. As garotas apontam que o disco conta com uma imensidão de misturas e influências: “Na voz, certamente, bebemos do disco 'Jóia', do Caetano Veloso, além das experimentações da Bjork, Lila Downs, Camille, Tune-Yards, Mariana Baraj e Aca Seca. Já nos arranjos podemos falar em Itamar Assumpção, Os Mutantes, Os Mulheres Negras, Grupo Rumo e Hermeto Pascoal”, colocam em destaque.

“Este é o primeiro disco do Bolerinho e ele reverbera nosso encontro em transparência: mulheres musicistas amigas-irmãs e feministas a partir das histórias que vivemos”, comenta o trio em comunicado. “Sentimos que nossa música encosta em outras pessoas por estarmos muito à vontade juntas, e livres para tocar e cantar o que somos”, completa.

Shows

Como parte de divulgação de qualquer álbum, o Bolerinho leva para pertinho do público a degustação do disco homônimo de estreia. Os shows acontecem em São Paulo, nos dias 24 e 30 de agosto, no Sesc Avenida Paulista e no Centro Cultural São Paulo, respectivamente. Confira os serviços:

SESC AV PAULISTA
Data: 24 de agosto de 2018
Horário: 21h30
Local: Sesc Av Paulista, Praça (térreo) - Avenida Paulista
Valor: R$ 20 inteira / R$ 10 meia / R$ 6 comerciário

CCSP
Data: 30 de agosto de 2018
Horário: 21h
Palco: Sala Adoniran Barbosa, Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro 1000. Paraíso)
Valor: R$ 20,00 inteira / R$ 10,00 meia







Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook