Resenha: Show no Sesc Pinheiros prepara Titãs para gravação de DVD

Foto: Lucas Lima/Eufonia Brasileira

Você pode dizer tudo sobre os Titãs, menos que eles só fazem mais do mesmo e não buscam inovar. A banda paulistana é a primeira no Brasil a lançar uma ópera-rock, mostrada ao público por quatro noites no Sesc Pinheiros, entre 12 e 15 de abril. Ingressos esgotados para todos os dias mostram a curiosidade que o projeto causou aos fãs e, claro, à reportagem do Eufonia, que foi conferir o espetáculo.

Os shows serviram para medir a temperatura do público e, também, como um ensaio para a gravação do DVD da banda, projetada para o próximo dia 12 de maio, no Teatro Opus, também em São Paulo. O DVD tem lançamento previsto para 13 de julho, pela Universal Music. Antes disso, o grupo vai lançar três atos do espetáculo, em formato digital, nas seguintes datas: Ato 1 (20 de abril), Ato 2 (27 de abril) e Ato 3 (4 de maio).

Foto: Lucas Lima/Eufonia Brasileira

Ao todo, são 25 canções inéditas, que contam os dramas de três garotas que sofreram um estupro coletivo em uma festa. Os nomes das personagens principais foram definidos como Maria A (interpretada por Yas Werneck); Maria B (interpretada por Cyntia Mendes) e Maria C (interpretada por Corina Sabbas). Ótimas atrizes e ótimas cantoras

A direção é de Hugo Possolo e Otávio Juliano. Marcelo Rubens Paiva auxiliou no roteiro e Rafael Ramos na direção musical. Um grande time, para um espetáculo muito bem produzido. A sonoridade das músicas é pesada, característica que os Titãs tem resgatado nos últimos anos. É certo que algumas canções, se ouvidas aleatoriamente, não seduzem tanto o ouvinte, como "Canção de Vingança", apresentado no falho vocal de Tony Bellotto. Mas, são essenciais para a trama. Já outras como "12 Flores Amarelas" e "Eu Sou Maria", soam bem fortes no espetáculo e causam uma expectativa a mais pelo registro de estúdio.

Foto: Silmara Ciuffa

A história é bem didática, de fácil entendimento. Há poucos diálogos e, vez ou outra, a voz de Rita Lee (que, aliás, foi ao Sesc Pinheiros para ver a obra) narra alguns acontecimentos, dando um charme a mais e amarrando acontecimentos da peça. O cenário é simples: uma escada que dá acesso a um andar acima, um telão, uma plataforma e alguns elementos que são colocados conforme evolução da história. Temas como tecnologia ( as garotas usam uma espécie de aplicativo, chamado Facilitador, para saberem o que fazer), aborto, abuso sexual, discursos de ódio e religião são tratados na narrativa.

A ideia é que no segundo semestre "12 Flores Amarelas" seja lançado por inteiro nos serviços digitais, com a narração de Rita inclusa. Por enquanto, vale muito ver a nova produção dos Titãs no teatro.





Comentários

  1. Excelente show....
    Muito diferente de tudo que o Titãs lançou até hoje.....

    ResponderExcluir
  2. Excelente show....
    Muito diferente de tudo que o Titãs lançou até hoje.....

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Parceiro

Siga-nos no Facebook