Angélica Duarte busca migrar da música erudita para a popular e lança versão de Chico Buarque

Foto: Amandha Levandowski

Após 10 anos de dedicação à música clássica, a paulistana radicada no Rio Angélica Duarte vive uma nova fase da vida. Em preparação de um novo EP e um show especial que celebra a obra de Caetano Veloso, Angélica quer fazer música popular. A cantora e compositora vive, agora, inspirada pela cidade, embora ainda tenha um certo olhar forasteiro.

“Morando aqui percebi quanta inspiração tirei desta cidade. E sofri com a transição. Convivendo com músicos e arranjadores excelentes, me inspirei a compor e também a cantar a música popular brasileira, a canção. Durante todo esse processo fui amadurecendo o projeto que tanto acredito, um show dedicado à obra do compositor Caetano Veloso, mas que conta a minha história, a minha paixão pelo Rio, a descoberta do amor, a distância da família e da terra natal”, conta Angélica.

Antes de lançar o EP, a cantora divulgou uma versão intimista para "Samba e Amor", canção de Chico Buarque lançada em 1970. Angélica trabalha também para a realização do show “Deixa o Pagode Romântico Soar”, em que irá interpretar músicas de Caetano Veloso ao lado de Gabriel Menezes, Lourenço Vasconcellos e Pedro Franco.

No vídeo de "Samba e Amor", Angélica também é acompanhado por Pedro. “‘Samba e Amor’ foi uma das primeiras músicas que tocamos juntos e que senti que o texto representava muito bem o momento em que eu estava vivendo. Bem assim, romântico mesmo. Desde que começamos a parceria, tocamos muito essa e ela se tornou um dos nossos ‘hits’, não poderíamos deixar de gravar essa para apresentar o duo”, conta a cantora.

Confira a versão de Angélica:


Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook