Quarenta e cinco anos depois, disco clássico dos Novos Baianos vira livro





Que "Acabou Chorare", disco dos Novos Baianos lançado em 1972 pela Som Livre, é um clássico da música nacional, todo mundo sabe. Tanta importância foi parar nas páginas do projeto "Acabou Chorare - o livro". Idealizado pela pesquisadora Ana de Oliveira (co-autora, junto com Gilberto Gil, do livro "Disposições Amoráveis" e idealizadora da publicação "Tropicália ou Panis et Circensis"),  o lançamento da editora Iyá Omin reúne diversos textos e projetos visuais que recriam, reinterpretam ou se inspiram nas 10 composições do clássico LP.

A publicação traz textos de Caetano Veloso, Arnaldo Antunes, Xico Sá, Evando Nascimento, Carlos Rennó, Hermano Vianna, Beatriz Azevedo, André Masseno e Fred Góes, enquanto Vik Muniz, Tulipa Ruiz, Opavivará!, Joana César, Alemão, Odyr, Domenico Lancellotti, André Vallias, Bel Borba e Gen Duarte colaboram com as artes visuais que comentam as dez canções da obra original.

“Acabou Chorare é uma obra colossal, produzida com inventividade e desembaraço em meio às conturbações do ano de 1972 e fruto de uma inusitada experiência coletiva”, ressalta Ana de Oliveira. “O disco apresenta um repertório precioso de músicas que não demorariam a se transformar em clássicos da MPB e agora se tornam objeto de inspiração para os artistas, compositores e intelectuais que, pela lei natural dos encontros, juntam-se neste livro, convidados a escreverem e a criarem trabalhos visuais a partir do impulso seminal dessas canções.”, afirma ela.



A obra conta com colaborações de escritores, compositores e intelectuais de diversas áreas. É composta por poemas, crônicas, prosas, contos, desenhos, grafites, análises, colagens e artes digitais. A pluralidade de estilos e autores representa o período ímpar em que o disco foi lançado.

“Nesse contexto de contradições, impasses e pirações, os Novos Baianos formavam uma das mais belas e autênticas simbioses da música com a vida”, comenta Ana. “De pós-tropicalistas, cabeludos e desbundados, eles passaram a artistas de grande luminosidade na constelação musical da época, com uma proposta modernizadora em termos sonoros, artísticos, poéticos e comportamentais. Numa conjuntura repressora como a do Brasil naquele momento, tornaram-se símbolo, mais do que de resistência, de afirmação da própria existência", conclui.

O projeto gráfico do livro ficou por conta de André Vallias, que se inspirou em publicações alternativas das décadas de 70 e 80. “Há nele um quê de almanaque udigrudi, confluindo para a cultura digital dos anos seguintes e a recente valorização dos processos artesanais”, comenta o artista.

"Acabou Chorare - o livro", será lançado no próximo 13 de junho pela editora Iyá Omin, com preço sugerido de R$ 99,90. 

Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook