Gragoatá é MPB, baião, tropicália e indie rock em disco de estreia

Foto: Bárbara Medeiros

A banda fluminense Gragoatá, formada nos corredores da Universidade Federal Fluminense, lançou no último 5 de maio seu álbum de estreia. Homônimo, o disco que está sendo lançado pela Coqueiro Verde, é fruto de uma campanha de financiamento coletivo concluída com êxito. Conta com 10 faixas, que vão do MPB ao indie rock. A produção é de Renan Carriço (Facção Caipira, Overdrive Saravá).

O trio, radicado ma cidade de Niterói (RJ), é uma das promessas na música nacional. Formado por Rebeca Sauwen, Fanner Horta e Renato Côrtes, o Gragoatá tem diversas apresentações e experiências importantes no currículo. Já participaram do projeto "Sofar Sounds", além de que, Rebeca, vocalista da banda, foi um dos destaques em 2015 no programa The Voice, na Rede Globo. A cantora já participou também da música “Linda, Louca e Mimada”, da banda Oriente. Foto: Bárbara Medeiros

Tais experiências contribuíram para o desenvolvimento do álbum, que começou a ser desencadeado já em 2015, em uma fazenda na região de Raposo, em Itaperuna (RJ). Renato Cortês define a estreia como um disco de contrastes. "O disco é essencialmente água. Salgada e doce. Nesse contraste de serem tão parecidas e tão diferentes”, ressalta.

Arte de capa: Rodrigo Toscano

O disco foi mixado por Renan Carriço (Facção Caipira, Overdrive Saravá) e Igor Bilheri, no Estúdio Toca da Cotia (Niterói/RJ), enquanto a masterização ficou por conta de Felipe Rodarte (Toca do Bandido). A produção musical é de Renan Carriço e do trio Gragoatá. A produção executiva é de Lilian Kerbel em conjunto com o trio fluminense.

Ouça o disco:


Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook