Daíra se aventura e lança releituras de Belchior no segundo semestre

Foto: Carolina Muait

Daíra Saboia, cantora criada nas praias de Niterói, Rio de Janeiro, encara em seu show o desafio de interpretar canções do eterno rapaz latino americano. "Daíra Canta Belchior", espetáculo que já vem passando por várias casas do Rio, terá no segundo semestre um álbum, cujo nome será "Amar e Mudar As Coisas", com lançamento pelo selo Porangaté. O disco foi gravado em julho de 2016, no estúdio Luperan, no Vale do Stuky, Lumiar (região serrana do Rio de Janeiro), tem parceria do produtor violonista Rodrigo Garcia (Cássia Eller, Wally Salomão, Cátia de França), e é apenas o segundo da cantora, que já lançou em 2014 o álbum "Flor", selecionado  no Prêmio da música Brasileira de 2015,

Mas agora o desafio da fluminense é outro. Uma prévia do que vem por aí já foi mostrado com a divulgação da música "Princesa do Meu Lugar". “Conheci essa música em um vídeo do Som Brasil antigo, onde o Belchior canta divinamente. Mas nunca a encontrei em nenhum disco dele disponível na internet. Até hoje, procuro. Quando ouvi me emocionei muito, porque na casa de minha mãe, onde eu cresci, tem um cajueiro enorme na frente, que dá muita flor e dá muito caju. Virou o símbolo da nossa casa. Ela mora longe, em Niterói, depois da montanha. Nem sempre dá para retornar para lá nessa vida de estradas e compromisso com a música. Dá um aperto de saudade, e a princesa do meu lugar é ela. Escolhi para ser a primeira porque é uma música pouco conhecida do Belchior, e muito emocionante para mim, que como ele, também tenho a sina de sempre estar ‘voltando para o meu lugar'", explica Daíra. Foto: Carolina Muait

O vídeo de "Princesa do Meu Lugar" foi gravado na casa do pai da cantora, Carlos Saboia. Junto com Patrícia Rocha, sua esposa, Saboia inaugura seu piloto de vídeos em casa. Marcelo Freitas assina a captação e edição de imagens; João Arthur é responsável pela finalização, enquanto o som ficou a cargo de Marcelo Saboia (mixagem) e Jorge Rufino (captação de som).

Foto: Carolina Muait

O álbum contará com músicas conhecidas e também obscuras de Belchior, todas em uma nova roupagem. Daíra tem contato com a música do cantor desde pequena. Conheceu “Como nossos pais”, na voz de Elis, e “Apenas um rapaz latino americano” na voz de seu pai, adepto de cantá-la em karaokês imitando a voz do cantor. “Um amigo na adolescência tocou ‘Hora do almoço’ para mim, e eu guardei. Alguns anos depois, comecei a cantar essa música no meu show. Depois fui explorando mais dele, e a partir da ideia desse show e disco, mergulhei de cabeça e estou querendo conhecer tudo o que eu puder dele, porque é mesmo um gênio”, recorda Daíra. 

"Em "Amar e mudar as coisas", a intérprete se debruça com intensidade e coragem sobre estas canções. A poesia de Belchior adentra nossos ouvidos sem filtro ou empecilho; escorrega através do canto forte, e, ao mesmo tempo, suave, da cantora - que nos fere, delicadamente - infiltrando os recantos mais adormecidos da alma da gente, e revela Daíra, com todo seu frescor, como a maior interprete que o autor já teve. Apesar da simplicidade com que é tecido, o álbum está imbuído de uma carga emocional grandiosa, potente, capaz de encostar no mais sublime da nossa sensibilidade, comovendo e provocando arrepios e lágrimas. A poesia de Belchior está viva, ativa.", conclui Duda Brack, outra voz que vem se destacando na música nacional.

Confira o vídeo de "Princesa do Meu Lugar":



Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook