Música de João Leopoldo convida o ouvinte a experimentar novas realidades

 Hoje vamos apresentar pela primeira vez um cantor e pianista. João Leopoldo já tem no currículo 1 EP e 5 álbuns, caracteriza seu diálogo entre voz e piano como "crônicas de um mundo invisível." Atualmente está trabalhando em um novo álbum que deve ser lançado ano que vem, mas ninguém melhor para falar sobre sua música e seus projetos do que o próprio João Leopoldo. Confira a entrevista que fizemos com o cantor e pianista:

Foto: Gui Urban



EB: Você já lançou 5 álbuns e um EP certo? Qual o principal avanço, em termo de amadurecimento, que você vê do primeiro EP até o último álbum?
J.Leopoldo: O amadurecimento foi perceber que as composições precisavam de muito menos do que eu imaginava. Antes eu gravava 50 pistas, 60 pistas de efeitos, vozes, camadas e mais camadas de som não conseguindo reproduzir fielmente ao vivo a música como havia sido gravada. Mas o processo criativo durante a gravação desses 5 álbuns foi fundamental pra moldar a minha concepção artística e chegar a um resultado mais orgânico no último trabalho gravado.


 "É um trabalho literal. São crônicas de um mundo invisível. Uma música livre que exercita a percepção. Ela quer te convidar a experimentar outras possibilidades, te provocar, desafia-lo."



EB: Qual o formato de seus shows? Por você ser pianista, o show se torna uma coisa mais 
intimista?
J.Leopoldo: É piano e voz com projeções.Mas é ótima sua pergunta, porque geralmente se confunde o fato do piano está associado a “salas de concerto” ou lugares reservados. Não podemos atribuir a palavra “intimista” a instrumentos que não são tão popularizados. O conceito da palavra pra mim nasce mais do repertório e personalidade do músico do que no formato solo apresentado ao público. Nem sempre um show sozinho tem caráter intimista.


 "A dificuldade está mais no que você deseja ou sonha pra sua música do que no que as pessoas desejam. O compartilhamento tem que ser natural e isso faz alcançar o público certo pro seu trabalho."



EB: Sua música é apenas voz e piano, com algumas parcerias. Você já pensou em  fazer um projeto com músicos adicionais?
J.Leopoldo: Sim. Isso começou a ser feito de 2 anos pra cá e o resultado tem sido muito positivo. A tendência para os próximos projetos é ter a soma de outros músicos sempre que possível.

EB: Como você define suas composições? Se fosse pra sugerir uma música sua para alguém que nunca te ouviu, qual seria?
J.Leopoldo: É um trabalho literal. São crônicas de um mundo invisível. Uma música livre que exercita a percepção. Ela quer te convidar a experimentar outras possibilidades, te provocar, desafia-lo. Eu convidaria as pessoas a escutar duas canções “O Lado Sul do Real”, que representa bem esse mundo paralelo que existe entre o jeito de cantar e tocar. E “A Tragédia do Som” que exercita o trabalho textual.






EB: Sua música é bem distante daquela coisa “radiofônica”. É mais difícil alcançar o público com esse formato?
J.Leopoldo: Depende de qual público. O universo musical é igual um supermercado. Cada pessoa compra o que te apetece o ouvido. Não “piro” mais com isso, porque o mundo é muito grande. A dificuldade está mais no que você deseja ou sonha pra sua música do que no que as pessoas desejam. O compartilhamento tem que ser natural e isso faz alcançar o público certo pro seu trabalho.

EB: Você está trabalhando em um novo álbum. Em qual fase ele se encontra? Gostaria que me contasse quais os rumos desse novo projeto e no que ele se diferencia e se assemelha dos outros discos?
J.Leopoldo: Fui contemplado pelo PROAC( Incentivo à cultura por meio do Programa de Ação Cultural do estado de São Paulo) desse ano. Esse incentivo permite gravação e circulação. O disco vai ser produzido pelo músico Edu Capello com previsão de lançamento em agosto de 2017. Estamos escolhendo as músicas e as parcerias. A grande diferença desse material para os outros que gravei é ter uma direção musical. Dessa vez não estou sozinho. O Capello por ser um grande músico e pianista de formação, dialoga muito bem com minha maneira de compor. Tem sido muito divertido. Vamos ter um grande material pro ano que vem com muitas surpresas.

EB: Tem novas apresentações na agenda?
J.Leopoldo: Não tenho datas fechadas. Mas algumas possibilidades devem aparecer ainda esse ano. Pra acompanhar melhor, tenho a fanpage no Facebook que sempre está atualizada.




 Facebook: João Leopoldo

 Agradecemos o cantor, compositor e pianista João Leopoldo pela disposição em responder nossas perguntas!

Comentários

Parceiro

Siga-nos no Facebook